domingo, 29 de novembro de 2020
GOIOERÊ TEM CASO SEMELHANTE

Marido é condenado por matar esposa e não revela onde escondeu o corpo no Paraná

20/11/2020
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

                           Após três anos, Alexandre Bilas do Nascimento acusado de matar e esconder o corpo de sua esposa, Lindiane Navarro Corrêa, de 24 anos, foi condenado a quase 37 anos de prisão pelo crime. A jovem é considerada desaparecida desde o dia 8 de dezembro de 2017 quando sumiu da casa onde vivia com o marido na Rua Miguel Mafuz, no Abranches, em Curitiba.

Desde o início da investigação, Alexandre sempre negou o assassinato e, durante o julgamento não foi diferente. No entanto, sua negativa não convenceu o Tribunal do Júri e ele acabou sentenciado por homicídio, ocultação de cadáver e tentativa de homicídio.
“Os jurados reconheceram que ainda que não houvesse cadáver, as provas que haviam nos autos eram suficientes para atestar que ele de fato matou a Lindiane”, explicou a promotora Roberta Franco Massa.
“Nós tínhamos provas periciais, provas testemunhais e a principal prova: o depoimento que foi colhido de maneira especial na Vara da Infância do filho menor. O qual viu as agressões, o qual viu a mãe caída no banheiro já desacordada”, completou a promotora.
Durante o julgamento foram feitas inúmeras tentativas para que o marido contasse onde escondeu o corpo de sua esposa, mas Alexandre não revelou o segredo. Marcos Santanna, assistente de acusação, ressalta que é possível que o condenado nunca fale a verdade.
‘Eu acredito que por questão de foro íntimo, ele não fará isso [revelar a localização do corpo]. Até porque seria uma forma de vingança, porque já houve a condenação, então eu me vingo, deixo a família sofrer. Como? Qual é a saga? É não falar onde está o corpo dela”, pontuou Marcos Santanna.
.
CASAL DE GOIOERÊ
.
Goioerê tem um caso semelhante, onde cinco pessoas estão sendo acusadas de matar o casal Kawane Cleve e Rubens Biguetti Junior, sem que os corpos dos dois tenham sido encontrados.
Da mesma forma que o caso de Curitiba, todos os suspeitos negam participação no crime e dizem não saber onde está o cadáver.
O inquérito já foi concluído e resta agora saber se as provas coletadas são suficientes para provar a participação de todos no sequestro e execução do casal, como concluiu a peça policial. (Goionews – Ric Mais).