sexta, 20 de setembro de 2019
“MATANÇA SEM FIM”

Delegado diz que homicídios em Mariluz são relacionados a outras ações criminosas

11/09/2019
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

                                Depois da prisão de três pessoas em Mariluz, que estavam com a prisão decretada por envolvimento na morte de Alex Ferreira dos Santos, conhecido como Lek, na última terça-feira, 3, o delegado de polícia de Cruzeiro do Oeste, Isaías Cordeiro, salientou que os homicídios em Mariluz estão relacionados sempre a outras ações criminosas.

 

CLIQUE AQUI E ENTRE NO GRUPO DO WATHSSAP DO GOIONEWS
E RECEBA EM PRIMEIRA NOTÍCIA DE GOIOERÊ E REGIÃO 

 

                                “São pessoas matando testemunhas, matando pessoas que se envolvem em brigas e discussões... um tenta matar o outro e não consegue, aí o outro vai lá e mata... um episódio vai deixando gancho para outro episódio, gerando uma matança sem fim” – salientou o delegado.
                                Isaías Cordeiro citou o caso mais recente, onde Alex Ferreira, o Lek, no sábado, 1º, tentou matar o Juliano (de Oliveira Batista) e não conseguiu. Na terça-feira,3, Juliano veio e matou Lek, junto com outras pessoas.
                                O delegado explicou que os quatro envolvidos na morte dele foram presos, sendo que um deles, Juliano de Oliveira Batista não foi encontrado e é considerado foragido.
Na operação de segunda-feira foram presos Cristiano Marcos Alexandre, Leonardo Junior dos Santos e Weverton Soares Rodrigues.
                                O Goionews apurou que o homicídio na festa da garapeira, em Mariluz desencadeou um homicídio em Moreira Sales, na loja de conveniência de um posto de combustível. Este crime está sendo investigado pela Polícia Civil de Goioerê e a expectativa é a de que ele possa ser esclarecido nos próximos dias, mas o inquérito é sigiloso. (Goionews – Com informações de Umuarama News).