segunda-feira, 20 de maio de 2024
EVANGELHO DE DOMINGO

DEVEMOS USAR TODOS OS TALENTOS PARA FAZER O BEM NESTA VIDA EM PREPARAÇÃO PARA A VIDA ETERNA

19/11/2023
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

Pax Domini sit semper vobiscum!

Saber administrar os bens materiais e espirituais que Deus nos dá é, sem dúvida alguma, o maior desafio que temos em nossa vida. Na realidade não somos donos de nada, somos meros administradores dos dons de Deus. Ele nos criou a sua imagem e semelhança para podermos servi-lo com alegria nesta vida nos preparando para a vida definitiva. A parábola dos talentos nos questiona profundamente sobre a direção que damos a tudo que o Senhor nos concede de graças, dons, talentos, que na realidade não nos pertence. Recebemos um empréstimo para direcioná-los na prática do bem que irá definir o que receberemos na vida eterna.

OREMOS: Senhor nosso Deus, fazei que a nossa alegria consista em vos servir de todo o coração, pois só teremos felicidade completa, servindo a vós, o Criador de todas as coisas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Amém.

EVANGELHO (Mt 25,14-30):
Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos: “Um homem ia viajar para um país estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou. O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles, e lucrou outros cinco. Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois. Mas aquele que havia recebido um só, saiu, cavou um buraco na terra, e escondeu o dinheiro do seu patrão. Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados. O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: “Senhor, tu me entregastes cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei”. O patrão lhe disse: “Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!” Chegou também o que havia recebido dois talentos, e disse: “Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei”. O patrão lhe disse: “Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!” Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento, e disse: “Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantastes e ceifas onde não semeastes. Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence”. O patrão lhe respondeu: “Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e que ceifo onde não semeei? Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence”. Em seguida, o patrão ordenou: “Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Ali haverá choro e ranger de dentes!”
Palavra da salvação.
Glória a vós, Senhor.

Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado.

A parábola dos talentos é um grande desafio para todos nós. Ficamos um pouco aborrecidos com esta frase de Jesus parecendo em um primeiro momento uma atitude muito severa da parte do Senhor. Coitado daquele que tem pouco. Terá menos e ainda lhe será tirado. Parece uma injustiça, pois o que tem menos deveria ganhar mais. Na realidade o que percebemos é que aqui se encontra a liberdade da pessoa na administração dos bens. Quando usamos tudo para o bem recebemos mais bem. Quando escondemos o bem, ficamos estagnados e esta atitude pode ser perigosa nos fazendo decrescer na virtude.
O preguiçoso não consegue usar os bens para o bem do próximo, fica fechado em si mesmo. Aqui percebemos que as maiores injustiças sociais que existem na humanidade são frutos de mera especulação. Investimentos virtuais que trazem a morte para pessoas inocentes.
O grande dilema de nossa existência é o saber administrar os dons e os bens que o Senhor nos dá constantemente. Os dons são qualidades humanas e espirituais que Deus nos dá para nos santificar e santificar os nossos irmãos. Os bens são as coisas materiais que devem ser direcionadas para a manutenção dos dons em favor da comunidade. Na realidade tudo é Graça de Deus que é um presente. Ela exige uma tarefa responsável da nossa parte através do uso correto de nossa liberdade.
O maior dom que nós recebemos de Deus é a nossa própria vida que deve ser vivida no amor e na solidariedade. Seremos felizes no momento em que começarmos a participar da felicidade de Deus na partilha de todos os dons e bens que Ele nos concede. Fomos criados para Ele e devemos ter os mesmos sentimentos d’Ele para sermos realmente felizes. Nada nos pertence. Somos administradores e devemos fazer de tudo para que este mundo seja melhor lutando contra o individualismo e tentando viver o altruísmo.
Podemos pensar que esta parábola não seja uma expressão de misericórdia para o que tem pouco. Mas na realidade todos têm as mesmas condições de praticar o bem. Cada um na sua medida. O que tinha recebido menos deveria ter produzido da mesma forma o dobro do pouco que havia recebido. Todos têm a mesma proporção de amor da parte de Deus. O que nos pode diferenciar é a missão na prática do bem de cada um que deve colaborar na construção do Reino. Não podemos esconder os dons que recebemos de Deus, pois na realidade eles não nos pertencem. Eles nos são dados para a edificação da comunidade.
O grande desafio que os cristãos sempre enfrentarão na prática da fé é o combate ao individualismo. Este leva a pessoa a fechar-se sobre si mesma pensando que é autora de sua felicidade. Muitos cristãos se fecham neles mesmos com medo das críticas dos outros que pode ter origem na inveja que não edifica nada. Quando somos realmente solidários em nossa vida, vamos descobrindo o que o Senhor nos pede. Aos poucos vencemos as nossas dificuldades e limitações e passamos a utilizar os dons que Ele nos concede em favor dos irmãos.
Pode acontecer no mundo individualista de hoje, que o que tenha mais esconda mais os seus dons. Nos bens espirituais acontece diferente, pois quem se envolve com a Graça de Deus imediatamente quer partilhar a felicidade profunda que sente em seu coração.
A nossa comunicação com Deus nunca nos leva ao fechamento, mas sim a preocupação com os demais. Por esta razão para sabermos administrar os dons que Deus nos dá necessitamos de uma vida profunda de oração, pois ela vai nos indicando como devemos agir.
A nossa conversão deve acontecer na linha do crescimento pessoal e comunitário. Devemos crescer no conhecimento de Deus, de nós mesmos e depois nos lançarmos na partilha do essencial.
Vamos ter mais para apresentar ao Senhor na medida em que mais nos aprofundarmos no seu amor. O importante não é o que fazemos, mas sim o como fazemos. O nosso ser deve estar em processo de aceitação do amor de Deus para sabermos administrar a nossa existência em favor de nossos irmãos.

Senhor Jesus nos ajude a viver a nossa vida sempre em processo de abertura para Vós e para nossos irmãos.

Rio Grande, 13 de novembro de 2023.

Visite meu blog: www.padregiribone.blogspot.com

"Deus nos ama acima de nossas limitações".
A Obra Missionária de Evangelização e Acolhida Social Virgem do Carmo Peregrina é uma comunidade de vida localizada na cidade de Rio Grande RS. Tem como carisma o Cultivo da Presença de Deus e a Efusão do Espírito Santo vividos na Oração e na Vida Fraterna. Somos um grupo de cristãos católicos que procuramos ajudar como missionários nos locais mais desprovidos de evangelização. Também temos como ideal ajudar os mais necessitados especialmente as crianças, os dependentes químicos e os encarcerados com suas famílias.
VOCÊ TAMBÉM PODE FAZER PARTE DESTA OBRA!
1. Envie esta mensagem a todos os seus amigos...
2. Imprima esta mensagem para as pessoas que não tem acesso a Internet...
E NÃO SE ESQUEÇA:
1. Celebração Eucarística.
2. Sacramento da Reconciliação.
3. Adoração ao Santíssimo Sacramento.
4. Leitura Orante da Palavra de Deus.
5. Devoção a Virgem Santíssima.