terça, 21 de março de 2023
MORADORA DE ASTORGA

Jovem é morta a tiros pelo ex-companheiro em SP

17/03/2023
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

Um advogado, de 48 anos, matou a ex-companheira com dois tiros dentro da garagem de um prédio, em Santos, no litoral de São Paulo. A mulher foi identificada como Michelli Stefani do Nascimento, de 27 anos. A vítima era natural de Astorga e foi sepultada na cidade.

Após o crime, Vicente Nogueira Gumbis de Souza deu um tiro na própria boca e morreu no local. O caso foi registrado como feminicídio na Delegacia de Defesa da Mulher.

O crime ocorreu em um prédio localizado na Rua Particular Lélia, no bairro Aparecida, na noite desta terça-feira (14). Segundo a Polícia Civil, um funcionário do prédio acionou as autoridades por meio do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) e informou que havia uma pessoa caída na garagem do edifício.

No local, os policiais verificaram que havia um homem caído no chão, com uma arma ao lado da perna esquerda e uma mulher dentro de um carro. Ambas as pessoas estavam com ferimentos no rosto. O Serviço Móvel de Emergência (Samu) foi chamado e, após avaliação médica, os socorristas confirmaram a morte das duas pessoas.

As autoridades solicitaram as imagens do circuito interno de segurança do condomínio e, especificamente do estacionamento do prédio, onde as duas pessoas foram encontradas. Por meio dos vídeos, foi possível entender o que ocorreu no local.

Momento do crime
Segundo a polícia, a mulher chegou no prédio por volta das 19h e parou o veículo na garagem. Ela saiu do carro, retirou duas malas do porta-malas e as colocou no chão. O ex-companheiro também estava no estacionamento e parecia esperar a vítima no local. De acordo com a polícia, ele estava ansioso, pois caminhava de um lado para o outro.

Após a vítima retornar ao carro, Vicente se aproximou do vidro do lado do motorista e disparou duas vezes contra a mulher. Na sequência, ele colocou a arma na direção da boca dele e apertou o gatilho, caindo ao lado do carro da vítima.

A polícia manteve o local preservado para o trabalho da perícia e investigação. Após a liberação da perícia, foram apreendidos dois aparelhos celulares, sendo um de Michelli e outro de Vicente, além da arma utilizada no crime.

O caso foi registrado como feminicídio, seguido de suicídio, na Delegacia da Mulher de Santos e será investigado. Fonte G1