terça, 24 de maio de 2022
CRÔNICA

Viver como Ele viveu

13/05/2022
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

Pr. Pedro R. Artigas
Igreja Metodista

Neste domingo estaremos iniciando a quinta semana do período Pascal, como é chamado este tempo litúrgico pelas igrejas Cristãs. É interessante que os Evangelhos estão em silêncio, e podemos recordar o último versículo de João no capítulo 21, versículo 25: “Jesus fez também muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos”.
Após esse tempo em que Jesus não aparece nos Evangelhos, não quer dizer que nada foi feito, mas ressurreto, aproveitou para firmar todo ensinamento que havia deixado com os discípulos, para que sua obra não perecesse, mas progredisse após sua ascensão aos céus. O momento é importante agora para nós, pois temos os escritos que devem nos levar a firmar também em nossas vidas seu trabalho e sua vida entre nós, em outras palavras, é momento de desenvolver o verdadeiro cristão, não o frequentador de igreja sem compromisso com a obra de Cristo.
Pensando nisso, estudando o texto bíblico, encontrei na carta de Paulo aos Romanos no capítulo 12, versículo 2 a seguinte palavra: “e não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.
Três palavras muito fortes realçam minha visão aqui: conformeis, transformai-vos e renovação. A primeira palavra conformeis, nos leva em um primeiro momento para o ato de trabalhar com massa, seja numa cozinha ou em uma obra de edificação. Na cozinha você não consegue fazer um bolo, uma torta se não enformar a massa, pois sem a forma ela não aguentará e cairá pelos lados, não se conseguindo assar. Se prestarmos melhor a atenção podemos dizer que nada em uma cozinha se faz sem que tenhamos de usar uma forma, seja uma panela ou forma realmente. Em uma obra, você pode levantar paredes, mas se não colocar colunas as paredes não aguentarão e virão abaixo, é necessário então enformar os ferros para que o concreto tome a forma e assim faça a segurança da parede.
Para todos os lugares que lancemos nossos olhos veremos sempre a necessidade de se conformar para o bom andamento das coisas. E o apóstolo Paulo nos ensina que não devemos nos conformar com o presente século, ou seja, não tomarmos a forma do mundo atual, e mantenhamos nossa vida na forma de Cristo.
A segunda palavra completa a primeira, mas transformai-vos. Podemos aqui verificar a importância que devemos ter em manter a forma de Cristo e não nos deixar levar por ventos de doutrinas estranhas à Cristo que insistentemente procuram abalar nossos alicerces. E como faremos isso? Através do estudo da Bíblia, e do trabalho em prol do conhecimento das verdades ensinadas por Jesus.
E a terceira palavra, renovação. Somente nos renovamos se praticarmos e estudarmos com constância as palavras deixadas por Cristo, não há outra maneira. E a melhor oportunidade de renovação é quando praticamos seus mandamentos. Precisamos experimentar uma transformação, a fim de nos renovar, crescer, de participar a nossa fé a outros, mostrando o que Deus faz em nossas vidas.
Para terminar poderia perguntar como podemos vivenciar ou praticar essa transformação? Por meio de uma vida de intimidade e obediência para com Deus, e assim fortalecendo nossa fé. Então nestes dias que antecedem a Ascensão e o Pentecostes que possamos iniciar nossa conformação com Cristo, nossa transformação pela obediência e a renovação de nossa mente pelo estudo da Palavra. Shalom.