domingo, 29 de novembro de 2020
CRÔNICA

A chegada do Advento

20/11/2020
  • A+ Aumentar Fonte
  • A- Diminuir Fonte

Pr. Pedro R. Artigas
Igreja Metodista

Estamos nos aproximando de um novo advento, um período da história do mundo onde não houve palavra divina, não houve profeta, onde todos puderam andar e fazer o que bem quisesse sem que fossem incomodados pelo Espírito Santo ou pelo próprio Deus.
No próximo domingo iniciamos o período chamado Advento, que é a espera pelo nascimento do Cristo Senhor, e ao iniciarmos esse período quero compartilhar o texto de Apocalipse, ou Revelação em seu capítulo 1, versículos 1 a 8: “Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer. Ele enviou o seu anjo para torná-la conhecida ao seu servo João, que dá testemunho de tudo o que viu, isto é, a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo. Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo. João às sete igrejas da província da Ásia: A vocês, graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, dos sete espíritos que estão diante do seu trono, e de Jesus Cristo, que é a testemunha fiel, o primogênito dentre os mortos e o soberano dos reis da terra. Ele que nos ama e nos libertou dos nossos pecados por meio do seu sangue, e nos constituiu reino e sacerdotes para servir a seu Deus e Pai. A ele sejam glória e poder para todo o sempre! Amém. Eis que ele vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dele. Assim será! Amém. "Eu sou o Alfa e o Ômega", diz o Senhor Deus, "o que é, o que era e o que há de vir, o Todo-poderoso".
Este texto vem nos lembrar que um novo momento pode estar se aproximando, só que agora será diferente. O texto que lemos no livro de Apocalipse, ou livro da Revelação, começa nos mostrar que Jesus não está parado, mas que tudo pode acontecer de um momento para outro.
Essa revelação veio de Deus através de Jesus Cristo, cuja posição e obra passada, presente e futura são o conteúdo da revelação, comunicada a João por um anjo. O propósito deste livro é mostrar aos seus servos, aos verdadeiros crentes (crentes palavra que simboliza todos os que creem em Jesus Cristo) de todos os séculos, o que deve acontecer entre a primeira e a segunda vinda de Jesus. São acontecimentos que podem acontecer a qualquer momento. Toda mensagem deve ser notificada. Este livro traz de maneira minuciosa a compreensão e também todos os símbolos que apontam para as realidades espirituais em e por trás de nossa experiência histórica.
João foi escolhido por Jesus, que mandou seu anjo, para revelar a todas as igrejas, não a uma especificamente, mas a todas, um testemunho preciso das coisas que estão e estará acontecendo. Precisamos ser sábios aos olhos de Jesus para conhecermos as verdades e olharmos para os tempos.
Nossa compreensão dos fatos se dá pela fé. A fé estabelecida no conhecimento de Deus, confiando nele para a compreensão e sabedoria face à perseguição. O compromisso de fé para ser vitorioso. Confiar plenamente em Deus, aprender a ouvir sua voz, seus desejos para nossa vida são elementos necessários à uma vida em Cristo.
O versículo 3 nos mostra a primeira das 7 bênçãos, as outras estão em diversos outros textos deste livro, e aqui a bênção implica em ler em voz alta a um grupo de cristãos que, em seguida espera-se que obedeçam às palavras desta profecia. Como o tempo está próximo, o chamamento à obediência se torna urgente, não sendo uma referência a um determinado período de tempo. Deve-se notar que João usa a palavra ouvem, e não a palavra escutam. Explico a diferença, ouvir é prestar atenção ao que se está sendo falado, escutar é para todo barulho que acontece à nossa volta é não prestamos atenção. João está escrevendo às sete igrejas na Ásia província romana, que representavam todas as igrejas locais da época, e que hoje representam todos os tipos de cristãos.
Os sete Espíritos é uma referência poderosa ao Espírito Santo em sua dinâmica e complexa atividade. Jesus é apresentado em termos de seu sacrifício de redenção, sua ressurreição e seu Reino eterno. Jesus, como o Rei-Messias, é um tema principal de Apocalipse. E seu sacrifício deu a todos os crentes os privilégios que pertencia a Israel no passado. Nos fez reis e sacerdotes, é claramente uma referência à função do crente agora, no presente, em testemunho e adoração.
Precisamos estar atentos, pois a volta do Senhor será real, pessoal e visível e sua vinda será de julgamento para aqueles que não o reconhecem como Senhor. Deus sela a profecia com a autoridade de seu nome. O Alfa e Ômega, a 1ª e a última letra do alfabeto grego, declaram que Deus é tudo, de A a Z, tem o controle sobre toda a história, sendo Todo poderoso, o poder de Deus é absoluto. Pensemos nisto nesse tempo que antecede o Advento. Muitas coisas aconteceram e estão acontecendo neste ano de 2020. Só para lembrar tivemos e ainda estamos em uma pandemia que não quer ceder, cristãos estão sendo mortos em diversos Países pelo mundo todo. Igrejas também queimadas, o tempo é oportuno para nossa reflexão. E como ensina o versículo 3 deste capítulo de Apocalipse: “Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo”. Shalom.